Sobre o Alfaya Livreiro

O conteúdo desta página divide-se em dois tópicos sequenciais.  Primeiro temos “Sobre o Alfaya Livreiro”, em que se fala da loja e de alguns dos procedimentos nela adotados.  Logo em seguida, vem o item “A respeito do livreiro”, que contém dados biográficos relativos à pessoa e às atividades profissionais do responsável por esta loja, bem como a respeito de suas obras em livro, que aqui se acham disponíveis para venda.

 

Sobre o Alfaya Livreiro

O Alfaya Livreiro surgiu em 23 de abril de 2016, num Dia de São Jorge.    Foi criado e mantido, desde então, por mim: escritor, jornalista, revisor e livreiro virtual Ricardo Ingenito Alfaya, nome artístico Ricardo Alfaya, natural da cidade do Rio de Janeiro e nela residente.  O Alfaya Livreiro começou como um blog, que hoje é utilizado, basicamente, para remanejar a esta loja ou aos portais Livreiro Online e Mercado Livre os visitantes que eventualmente o encontrem.  Assim, conforme se pode depreender, o Alfaya Livreiro, além desta loja, mantém acervo e vende livros e outras mídias tanto no Livreiro Online quanto no Mercado Livre.  São, portanto, três pontos de venda.  Chamadas para a livraria são também frequentes pelo Facebook, o que gera encomendas por lá.  O contato com o Livreiro Online iniciou-se ainda em 2016, quando passei a vender livros por lá e a dialogar tanto com os responsáveis por aquele portal quanto com vários outros livreiros que o utilizavam.  Portanto, a implantação desta loja foi resultado desse intercâmbio com os administradores do Livreiro Online. Foi em 29.06.2017, dia de São Pedro, que o acervo existente no Livreiro Online foi copiado e transferido para esta loja, tornando-se assim disponível aos buscadores e, consequentemente, ao público.  Por essa razão, considero essa data como a oficialmente inaugural da loja.

O acervo da livraria, hoje, inclui aproximadamente 4.000 (quatro mil) títulos, consideradas as diversas mídias: livros novos e usados de vários gêneros, periódicos diversos, CDs, DVDs e e-books.  Os CDs e DVDs são quase todos usados, porém, seminovos, tendo este livreiro como único dono.  Todo esse material vem sendo sistematicamente cadastrado nessa loja e no Livreiro Online.  Algumas obras também têm sido destinadas ao Mercado Livre.  Quanto aos e-books, acham-se por enquanto mais em projeto.  Porém, vários deverão ser produzidos com o tempo.

No acervo predominam livros e periódicos impressos.  Aplica-se aqui a nomenclatura utilizada pela estrutura do site-loja (que acompanha a do portal Livreiro Online e outros).  Desse modo, as prateleiras em que mais se encontram obras são: Artes, Artesanato, Economia, Ciência Política, Comunicação Social, Contos (e Crônicas), Esoterismo, Ficção Científica, Filosofia, Literatura Brasileira, Literatura Estrangeira, Poesia, Psicologia, Religião (especialmente obras espiritualistas e relacionadas às práticas orientais).  Essa predominância se tornará mais evidente conforme mais títulos se forem cadastrando.  Porém, embora em menor número, em outras áreas também se podem encontrar obras interessantes, e às vezes raras, no Alfaya Livreiro.

Os CDs são, em sua maior parte, de música, embora também haja alguns com recitais de poesia.  Esses CDs musicais pertencem a vários gêneros: MPB, pop, dance, disco music, new age, clássica, jazz, orquestras, rock, românticas.  Esses, os predominantes.  Todos são CDs de áudio e originais.  Todos foram testados antes de serem postos à venda.

Quanto aos DVDs, são, em sua maioria, de filmes, cujas mídias se acham seminovas.  Alguns desses DVDs foram adquiridos para revenda.  Todos são originais e submetidos a teste, antes de serem ofertados na loja.

Ao avaliar o “status” de uma mídia, quanto ao grau de conservação, além da indicação entre “novo” ou “usado”, uso os seguintes conceitos: seminovo; muito bom estado (ou “muito bem conservado”); conservado; aproveitável.

Novo será aquele que se ache absolutamente sem uso, ainda em fase próxima à de seu lançamento, ou cuja aparência remeta à de um produto em ótimas condições.  Dependendo de como foi guardado e manuseado, um livro sem uso, por exemplo, pode ficar com aspecto de novo, até mesmo por uma década.  Aliás, o fato de um livro conter autógrafo não necessariamente o caracteriza como usado.  Pode ter sido usado apenas para a concessão do autógrafo e depois guardado, conservando-se em ótimo estado.  Seja como for, se um livro novo contiver autógrafo, isso será avisado na descrição.

Seminovo abrange todo produto que, mesmo não apresentando sinal de uso, já tenha perdido aquele aspecto diferenciado que um objeto novo tem, seja em virtude da decorrência do tempo, seja em razão do modo ou local em que foi armazenado.  O conceito de “seminovo” pode também ser aplicado ao produto novo que apresente algum dano ou, ao contrário, ao usado, em ótimo estado, com aspecto de uma mercadoria que até poderia estar na prateleira de uma loja de artigos novos.

Em muito bom estado ou muito bem conservado é o produto que já apresente, de maneira relativamente leve, alguns sinais do tempo ou desgaste pelo uso, mas que ainda conserve uma muito boa apresentação. No caso de impressos, não devem conter manchas, sujeiras fortes, páginas muito amareladas ou com muitas oxidações, seja nas laterais, seja no miolo.  No caso de livros e periódicos, para merecer esse conceito, não podem conter inúmeros sublinhados, riscos ou rasgos; capas devem estar bem presas e com bom aspecto.

Conservado é aquele que, embora bem tratado, apresente ostensivas marcas deixadas pelo tempo ou pelo uso, como alguns pontos fortes de oxidação.  No caso de livros,  quando isso ocorra nas laterais ou no miolo e cujas páginas se encontrem amareladas; podem conter também uma ou outra marca na página, um ou outro sublinhado, mas nada que interfira muito na leitura; e que a capa, embora com sinais de envelhecimento, esteja bem presa e ainda predominantemente limpa; em suma, um livro que, apesar de alguns problemas visíveis, ainda se ache em boas condições para leitura.

Aproveitáveis, o derradeiro conceito utilizado pelo Alfaya Livreiro, diz respeito a livros  que apresentem grandes marcas de oxidação, algum pequeno rasgo, manchas de líquido, deformação, sujidade na capa ou muitas páginas sublinhadas; porém que, apesar de tudo, o volume seja utilizável. Que esteja ainda o livro  encadernado, completo e com texto completamente legível.

Em geral, além do conceito aplicado, o Alfaya Livreiro especifica, sobretudo no caso de obras que apresentem algum dano, o motivo específico que levou àquela classificação.

O Alfaya Livreiro considera inaproveitáveis e não põe à venda: livros em que faltem cadernos ou páginas em que haveria conteúdo relativo ao tema principal da obra; livros despencados; livros excessivamente deformados por terem sido muito molhados; livros com mofo; livros atravessados por buracos causados por insetos de qualquer tipo; livros extremamente sujos, de aspecto repugnante ou com cheiro intolerável; livros cujo texto, no todo ou em parte, tenha ficado ilegível, por qualquer razão.

Em alguns casos, a obra passa por um processo de restauração,  o que as torna novamente aproveitáveis.  Quando isso ocorrer, será informado na descrição.

Em relação às mídias CD e DVD, uma vez constatado qualquer problema na execução, o produto não será posto à venda.  Estojos com muita sujidade ou quebrados são substituídos por novos.  Já para os encartes, aplicamos a mesma conceituação empregada para o material impresso.  Com a diferença de que o conceito “Aproveitável” se torna mais tolerante, desde que a mídia, propriamente dita, apresente-se em bom estado.  Afinal, nesses casos, a condição do impresso é secundária.  Seja como for, na descrição do objeto será informada a situação do encarte.

Para conhecer as condições de compra e venda do Alfaya Livreiro, você pode recorrer ao item “Termos e Condições”, cuja entrada se situa, no menu da Página Inicial, ao lado direito de “Sobre o Alfaya Livreiro”.  Por sinal, se você tenciona adquirir algum produto, é muito importante que conheça nossos “Termos”, pois eles regerão a negociação.  Realizar uma compra equivale a aceitar o estabelecido nos “Termos & Condições”.

 

A respeito do livreiro

 Meu nome é Ricardo Ingenito Alfaya, mais conhecido por Ricardo Alfaya, modo como apareço nas capas e nas fichas catalográficas dos livros em que participo como autor. Sou natural da cidade do Rio de Janeiro, onde resido. Divorciado, sem filhos. Formado em Direito, pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso); ambas, no Rio.  Fui funcionário do Banco do Brasil S.A., durante 21 anos, onde exerci diversas funções, inclusive a de Professor de Relações Humanas, para o Departamento de Recursos Humanos e Desenvolvimento de Pessoal do BB.  Também no BB, trabalhei na correção de provas de redação de concursos.  Paralelamente, atuei como redator e revisor em periódicos da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e da Fundação MUDES. Atualmente trabalho como escritor, revisor e livreiro. Ao longo de 35 anos, dedico meu tempo livre à prática literária, sendo Membro da União Brasileira de Escritores, UBE-RJ.  Desse modo, além de divulgar textos em verso e em prosa, em diversos periódicos e antologias, vim a publicar cinco livros de poesia.  Quatro dessas obras se acham divulgadas nesta loja e podem ser adquiridas.  São os seguintes volumes:

Sujeito a Objetos, livro inserido na coletânea Rios, em que cinco poetas entraram com livros individuais.  Edição da Ibis Libris, Rio de Janeiro, 2003.

Frutos da Paixão, livro inserido na coletânea Vertentes, também com a participação de cinco poetas, com um livro cada.  Edição da Five Star, Rio de Janeiro, 2009.

Álbum sem Família, com 100 poemas distribuídos como se fossem fotos num álbum.  O conjunto faz parte do volume de livros  Quadrigrafias, que reúne quatro poetas, cada qual com uma obra própria.  Edição da Uapê, Rio de Janeiro, 2015.  Após a remessa desse volume à Academia Brasileira de Letras, houve um convite para que o autor participasse, com cinco poemas inéditos e biografia, da Revista Brasileira 90, da ABL, de 2017, sob a direção de Marco Lucchesi.  Periódico em formato de livro que também se acha à venda nesta loja.

Fronteiras em Liquidação, livro individual, que obteve o “Prêmio Diretoria da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, UBE-RJ”, em 2016. Nele, o autor reúne cinco livros de sua autoria, três deles revistos e ampliados, sendo que três deles permaneciam inéditos.  Inspira-se, em boa parte, nas ideias de Baumann, na mitologia grega, nas questões relativas ao meio ambiente (em que considera também o problema da desigualdade social) e na obra de Pablo Picasso. Os cinco livros são organizados de modo a levar ao extremo tanto o conceito de “Fronteiras” quanto o de “Liquidação”.  Compõe-se dos seguintes livros: “Através da Vidraça” (que reedita a obra de estreia do autor, de 1982, revista).  “Passeio Público” (que traz a lume um livro que permanecia inédito e que recebeu Menção Honrosa, equivalente ao quarto lugar, em 1993, em concurso promovido pelo Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro). “Sujeito a Objetos” (que reúne todos os 28 trabalhos do “Sujeito a Objetos”, de 2003,  e acrescenta 48 novos, num total de 76 poemas).  “Águas-Fortes” (livro inédito, inspirado em águas-fortes de Pablo Picasso; trabalha também com a mitologia grega e desenvolve uma reflexão sobre questões ambientais); “Feitiços do Tempo” (livro inédito com poemas metalinguísticos e metafísicos); “Fronteiras em Liquidação” (livro inédito, que retoma questões atinentes ao meio ambiente e à globalização, entre outras).

Maiores informações sobre todas essas obras, inclusive sobre os demais autores de “Rios”, “Vertentes” e “Quadrigrafias” podem ser obtidas nas páginas em que os livros foram anunciados.  Basta digitar na busca os títulos das coletâneas ou meu nome, Ricardo Alfaya.